Na passada semana estivemos no Fórum Anual da Associação Montessori Internacional, em Amesterdão. Para além de termos tido a possibilidade de conhecer pessoas de todo mundo ligadas à pedagogia, tivemos também acesso ao plano de actividades da Associação Montessori Internacional para o próximo ano. Foi uma oportunidade única para entender que projectos estão a ser criados em todo o mundo e que parcerias nascem quando temos o mesmo interesse.

A Associação Montessori Internacional foi fundada por Maria Montessori e é a actual guardiã da abordagem educacional Montessori desenvolvida há mais de 100 anos. Tem como missão  preservar o legado da visão de Maria Montessori enquanto procura continuar a inovar, aumentando o impacto e o alcance dos princípios e práticas Montessori.

Enquanto Escola Montessori do Porto interessa-nos particularmente a possibilidade de a AMI reconhecer e acreditar as escolas Montessori em todo o mundo. Os padrões pedagógicos da AMI mantêm o nível de excelência que Maria Montessori idealizou, assegurando que cada escola tem uma abordagem consistente com o que é apresentado nos cursos de formação da AMI em todo o mundo. Os programas de formação da AMI caracterizam-se por serem exaustivos e rigorosos com disciplinas como a psicopedagogia, as neurociências e as áreas específicas do currículum Montessori. Esta formação complementa-se com horas de observação e prática em ambientes Montessori. O objetivo deste processo formativo é entre outros, a introspeção e a reflexão que são fundamentais no processo de um educador interiorizar o papel Montessori.

Quais são algumas das características que as escolas devem cumprir para participarem no processo de acreditação internacional?

Cada escola deverá cumprir o requisito de ter um(a) Guia treinado(a) para faixa etária de cada aula (seja 0-3; 3-6, 6-12). No que diz respeito ao Assistente, em cada turma  deverá haver um assistente, igualmente treinado pela AMI,  que embora não tenha componente docente, tem um papel fundamental na gestão diária da sala de aula.

Cada sala de aula deve estar equipada com a sequência de material completa, em estantes, ao alcance das crianças; os materiais devem ser os específicos para cada faixa etária e deverão ser adquiridos num fabricante aprovado pela AMI.

Relativamente à idade e número de crianças na sala de aula, pressupõe-se que cada escola deve garantir uma divisão bem equilibrada de idades e um número apropriado de crianças para garantir o desenvolvimento individual de cada uma, ao mesmo tempo que estes números devem estar em conformidade com os padrões impostos pelo Ministério da Educação de cada país.

Relativamente aos períodos de trabalho montessori, as aulas dever ser programadas para existirem cinco dias por semana com períodos de trabalho ininterruptos todos os dias, mas adequados a cada faixa etária: podem variar entre 2 horas todas as manhãs (até aos 3 anos) ou 3 horas em todas as manhã e 2/3 horas quatro tardes por semana (para a turmas até aos 12 anos). Nestes ciclos de trabalho, dá-se prioridade à observação contínua por parte do/a guia de forma a perceber o interesse, a iniciativa e a capacidade de trabalho por parte dos seus alunos.

O programa de reconhecimento escolar da AMI foi iniciado nos Estados Unidos com o objectivo de ajudar os pais a avaliar se as escolas seguiam os princípios e práticas de Montessori naquilo que é a sua essência original. É com base nesses padrões que o reconhecimento da AMI é concedido: a escola apresenta a sua candidatura para se tornar uma escola AMI-Montessori e a mesma é reavaliada todos os anos. O status de reconhecimento das escolas é baseado em critérios como os que acima referi para que haja garantias do alinhamento das suas práticas diárias com os padrões pedagógicos estabelecidos por Maria Montessori.

É neste caminho que estamos! Iremos abrir a nossa escola em Setembro e assim que haja luz verde da parte da AMI, iremos querer participar no processo de acreditação da nossa escola para que possamos ser reconhecidos pelo trabalho de rigor e de alinhamento com os príncipios de Maria Montessori.

Rosana Fernandes

Artigo Seguinte
Artigo Anterior