Já aqui falamos da importância do ambiente preparado e da existência de grupos de idades mistas nas salas de aula Montessori, no entanto, deparo-me com a dificuldade que pode ser espelhar aquilo que acontece numa sala de aula Montessori.

Estando habituados ao nosso modelo de referência de sala de aula clássica, em que os alunos estão sentados nas suas secretárias, virados para o professor, e em que todos aprendem a mesma coisa ao mesmo tempo, torna-se difícil imaginar como outras abordagens poderão funcionar. Bem, a diferença é, essencialmente, esta:

Então, o que acontece numa sala de aula Montessori?

Movimento

Para mim uma das diferenças abismais entre uma sala Montessori e uma sala tradicional é a possibilidade de a criança se poder movimentar livremente e escolher as suas próprias atividades. O ambiente contém muitos locais onde a criança pode aprender de diferentes formas: sozinho, em pares, em pequenos grupos, em grandes grupos, no espaço interior, no espaço exterior, em mesas, no chão. São inúmeras possibilidades.

“Movement helps the development of the mind.”

Maria Montessori percebeu que o movimento ajudava o desenvolvimento da mente. Quantos de nós, quando nos temos de preparar para uma apresentação ou para um teste, não andamos de um lado para o outro com as folhas do que temos que estudar na mão? Ou não usamos o exercício físico como forma de nos manter mais focados? A verdade é que mesmo nós, adultos, usamos o movimento. Ele faz parte daquilo que somos e também da forma como evoluímos, então, por que devemos continuar a acreditar que a aprendizagem e a concentração só surgem quando a criança está quieta e sentada numa sala de aula, 90 minutos, a olhar para o professor ou a fazer exercícios? Por que continuamos a apostar na separação da mente do corpo, como se ambos não fizessem parte daquilo que somos?

Liberdade de escolha e sentido de pertença

A criança não se movimenta na sala porque alguém lhe disse para o fazer ou não coloca o material na devida prateleira para que a elogiem ou não ralhem com ela. Ela fá-lo porque desde que entrou na sala que sente que faz parte de uma comunidade, respeitada e amada, sentindo que a responsabilidade de cuidar do ambiente é de todos.

No outro dia um pai questionava-nos como pode uma sala com 25 crianças ter só dois adultos? Acredito que noutros ambientes possa ser uma conjugação difícil de gerir, mas em Montessori a resposta está aqui. Não me atreveria a desrespeitar o outro porque me vejo nele e tenho a noção que não sou mais nem menos que qualquer outro membro da minha comunidade. A criança consegue compreender perfeitamente esta relação, compreende que o respeito por si próprio, pelo outro e pelo ambiente são regras importantes (e as únicas) da sala. Quando todos fazemos parte de algo que é nosso, cuidamos com muito mais eficácia e empenho.

Quando a liberdade de escolha é permitida, dentro de limites claros, firmes e razoáveis, as crianças agem de forma positiva na promoção do seu desenvolvimento. No ambiente Montessori as expectativas são claras e as crianças experimentam as consequências naturais e lógicas das suas escolhas. Essa liberdade (dentro de limites) permite a autorregulação e prepara-as para o mundo real.

Preparação para o mundo real

“…the Montessori classroom is a true preparation for real life.”

A sala de aula Montessori é uma verdadeira preparação para a vida real. Ao longo das nossas vidas, somos encorajados a perceber com nos podemos encaixar na sociedade, de forma a apoiarmos os outros e a aprender com aqueles que já cá estão há mais tempo. Precisamos de resolver problemas e gerir o tempo. Devemos colocar as coisas no seu devido lugar para que outros as possam encontrar quando precisarem e respeitar a dinâmica do grupo. A liberdade e a confiança para se levantar e se movimentar, seguindo e descobrindo os seus próprios interesses, para aprender a se mover, a interagir e a socializar, são as verdadeiras aprendizagens que nos preparam para a vida real.

Descoberta

Outro aspeto importante é que a autodescoberta segue os interesses da criança. É ela que dita o caminho e é ela o centro da sua aprendizagem. Isto permite que diferentes crianças estejam a trabalhar diferentes temas e conteúdos, de diferentes formas, na mesma sala de aula. Não seria maravilhoso que pudéssemos ter escolhido aquilo que queríamos aprender na escola? O que é que acontece quando nos permitem seguir os nossos próprios interesses?

Em Montessori é dada à criança a oportunidade de experimentar e de descobrir a resposta por si mesma. Isto leva a uma experiência de aprendizagem muito mais profunda, promovendo o amor pela aprendizagem ao longo da vida, como um processo autodirigido para a resolução de problemas e descoberta.

Imaginação

O ambiente preparado em Montessori apoia o desenvolvimento da imaginação e da criatividade em todas as etapas da aprendizagem. As atividades abertas permitem que as crianças explorem novas ideias e relacionamentos, fornecendo uma base para a autoexpressão e a inovação. Nos primeiros anos, os blocos de construção da imaginação são firmemente estabelecidos através da exploração sensorial do mundo, lançando a imaginação e a autoexpressão criativa.

Deixo-vos este pequeno vídeo que ilustra muitos dos aspetos aqui referidos. Conseguem ver as diferenças?

 

Joana Magalhães

 

Artigo Seguinte
Artigo Anterior