São cada vez mais as famílias que nos procuram para conhecer a escola. Procuram a escola pelo seu projeto educativo, pela forma como olhamos para a criança e/ou até pela conveniência da localização do espaço. Seja pela razão que for aquilo que procuramos é que cada família crie um sentimento de pertença em relação ao ambiente novo que será a escola. Afinal escolher uma escola não é tarefa fácil e é natural que muitas famílias se sintam perdidas.

Em tempos fizemos um artigo sobre os aspetos importantes a considerar na escolha de uma escola  (Montessori ou não). Hoje vamos falar sobre as escolas Montessori, como identificá-las e que aspetos devemos considerar.

Costumo dizer que a primeira coisa que devemos fazer quando estamos à procura de uma escola é termos bem presente aquilo que, enquanto família, procuramos, o que mais valorizamos e como queremos que os nossos pequenos sejam tratados. Se este trabalho não estiver feito, pode ser difícil ir ao verdadeiro encontro das nossas necessidades e uma escola Montessori poderá ou não ser uma resposta.

Quando visitamos uma escola podemos olhá-la de diferentes prismas:

  • De que forma vai ao encontro das necessidades da criança?
  • Como é que a escola olha para a criança e como impõe limites?
  • Qual a cultura da escola e que ambiente se sente?
  • Como é o método de aprendizagem?
  • Como está estruturado o currículo?
  • Como é que a escola potencia a relação família-escola (e se o faz de todo)?
  • Quem são os elementos da equipa?
  • Quais são as regras de funcionamento?
  • Que serviços a escola oferece?
  • Como são as instalações e os equipamentos (salas, recreios, materiais usados, etc.)?
  • Como é que a escola está estruturada e qual a sua perspetiva para o futuro?
  • Como é o processo de admissão e quanto custam os serviços?

Estas questões vão assumindo uma ordem diferente conforme aquilo que a família mais valoriza, não existindo por isso uma ordem estanque. No entanto, é importante que façamos todas as perguntas e que abordemos todos os tópicos que são fundamentais para nós, sem medos, porque é quando o fazemos que estamos a criar uma verdadeira relação com a escola. 

Uma escola Montessori valoriza, acima de tudo, o respeito pela criança e isto é algo que tem de ser visto e sentido, não pode ser só teórico. Percebemos isto pela forma como se fala da criança e com a criança. É normal quando visitamos uma escola que surjam crianças a nossa volta, esteja atento/a, perceba se a o educador se baixa ao nível da criança, se fala com ela com respeito, se tem em consideração aquilo que a criança está a dizer e a forma como está a comunicar. Perceba também se permitem à criança seguir o seu próprio ritmo, se potenciam a sua autonomia (se a deixam calçar sozinha, vestir o casaco, ir à casa de banho, entre muitas outras coisas).

Para além da relação educador-criança, observe também a relação entre as próprias crianças. É comum ver nas escolas Montessori os mais velhos a ajudar os mais novos, é algo que é cultivado como fazendo parte da própria cultura da escola, onde a criança olha para si como tendo um papel ativo e se sente orgulhosa por poder ajudar. Ajudam os mais novos a calçarem-se, a vestirem-se, apoiam-se mutuamente nas refeições ou nas rotinas de sono e higiene. É absolutamente mágico e são as bases para uma sociedade mais justa e equilibrada.

Questione também sobre como seguem os interesses da criança, como estruturam o dia e como fazem o planeamento e as reflexões. Nas escolas Montessori não existe avaliação, existem registos de observação e de reflexão sobre as aprendizagens que a criança faz a todos os níveis: cognitivo, motor, sensorial e também emocional. Observa-se a forma como a criança se relaciona com os outros e consigo mesma.

A estruturação das turmas e do dia também é um dos aspetos que nos indicam se se trata verdadeiramente de uma escola Montessori. Primeiro, numa escola Montessori as salas estão organizadas por grupos de idades mistas, para além disso, existem ciclos de trabalho em ambiente Montessori. A Association Montessori International/USA dá-nos uma referência sobre o que procurar e dá-nos uma tabela que acreditamos que poderá ser útil na procurar de uma escola Montessori.

Outro questão crucial é a estruturação e o aspeto físico (ambiente) das próprias salas e dos materiais. Nas salas, assim como toda a escola, dá-se preferência a cores neutras, os elementos estão ao nível das crianças, como quadros, estantes, pias, etc. As crianças trabalham nas mesas, mas também em tapete e privilegia-se o contacto com o exterior e com a comunidade. Os materiais são específicos e o seu uso em sala requer que a educador/a tenha formação específica em Montessori para que os possa usar corretamente.

Espero que todas estas dicas o/a ajudem a encontrar aquilo que procura. Seja como for, não se esqueça de pedir uma reunião com escola e com a educador/a que vai acolher o seu/sua filho/a, faça todas as perguntas e, acima de tudo, sinta o ambiente que é vivido na escola, valorizando todo o processo, desde a chegada à saída.

Enquanto escola, desejamos que Montessori possa ser uma resposta para mais famílias e que estas encontrem nas escolas um ambiente seguro e promotor de relações significativas, daquelas que nos marcam e nos fazem felizes 😊

Joana Magalhães