Há já algum tempo que tenho andado a pensar na transição escolar que as minhas filhas irão fazer este ano. E embora as férias estejam aí e ainda falte algum tempo para setembro (ainda tenho a sensação de que é uma realidade distante), acho importante que comecemos já a abordar a questão da adaptação escolar. É isso que temos feito lá em casa e que gostaria de partilhar convosco aqui. Se estão a passar por uma fase semelhante, então este artigo é para vocês.

O início escolar (seja em que fase for) é sempre um marco importante na vida das famílias. Também é natural que cause alguma angústia e preocupação, daí a importância de prepararmos este momento, afinal queremos uma transição amável e construtiva (ao estilo Montessori).

O primeiro aspeto relevante é que olhemos para esta transição como um processo natural. A atitude que assumimos perante uma mudança vai determinar em muito as nossas estratégias e a forma como a criança irá viver este período. É mais fácil escrever do que fazer, eu sei, mas o objetivo é que todos saiam beneficiados com esta transição.

Como podemos então apoiar esta transição?

Capacitar e aproveitar o potencial da criança

A criança tem um potencial incrível de adaptação, tudo o que temos de fazer é acompanhá-la e prepará-la para a microssociedade que é a escola. Para isso, precisamos de a acompanhar rumo à independência e dar-lhe a oportunidade de tornar este desafio numa aprendizagem. Confie nela, ela vai surpreende-lo/a.

O nosso papel enquanto pais é chave

A adaptação escolar não é apenas um processo da criança. É um caminho que deve ser percorrido em conjunto por pais e filhos. Necessitamos de transmitir segurança e confiança, porque é nessa atitude que a criança se irá rever.

Recursos à disposição das famílias

Existem alguns recursos que temos à nossa disposição e que podem ser excelentes ferramentas de apoio à transição escolar:

  • Incluir a criança em todo o processo de conhecimento da escola. Leve-a consigo nas visitas e deixe-a observar os espaços. O objetivo é que se familiarize com os espaços e com as pessoas.
  • Dê-lhe oportunidade de escolher e preparar o material que irá usar na escola, seja a mochila ou as sapatilhas novas que a irão acompanhar. Torna tudo menos abstrato e enche-lhes o peito de entusiamo.
  • Encontre contos, histórias ou dicionários onde as personagens estejam a passar por este momento. Em casa usamos El primer día de escuela de Helen Oxenbury e Voy el colegio de Charlotte Roederer e têm feito um furor enorme (escolhem pelo menos um todos os dias). No entanto, existem muitos mais. Tenha preferência por livros em que a criança se possa identificar com a personagem principal.
  • Façam a vossa própria história. Tirem fotografias de criança durante os momentos de rotina matinal, fotografias dos materiais/objetos que irão usar na escola, como a bata ou a mochila, e fotografias da escola e façam um livro. Não o vai largar e ajuda a compreender melhor como tudo se vai processar.
  • Se conhecerem alguma família que vai estar na escola, marquem um encontro no parque 15 dias antes para que possam brincar e conhecer-se. No primeiro dia de escola, aquele amigo novo será uma cara familiar.
  • Passem tempo de qualidade e de forma intencional nos dias que antecedem o início escolar, durante o período de adaptação e nos 3 meses seguintes. É algo que deve acontecer sempre, mas que nestes primeiros tempos deve ser uma prioridade para as famílias. É a ideia é enchê-los de brincadeira e sorrisos partilhados.

Recursos uma vez iniciada a escola

  • Favoreçam o descanso. Sobretudo para as crianças pequenas (até aos 3/4 anos), ter uma tarde sossegada depois da escola, sem atividades extracurriculares e até ter passado este período de adaptação, é uma excelente ajuda.
  • Acompanhem as emoções. É importante que aceitemos que é normal surgirem emoções de tristeza/cansaço nesta fase. Devemos valorizar essas emoções, exatamente por serem processos naturais. Devemos evitar comentários como “Vá lá, já estás grandinho”. Se preferirmos, podemos dar o exemplo da nossa experiência, contando-lhes como aconteceu connosco, evitando a desvalorização e a comparação.

Uma vez iniciada a jornada escolar devemos estar atentos às pistas que a criança nos vai dando. O acompanhamento dos primeiros meses é determinante para uma boa adaptação e para que a criança se conecte com o ambiente. A chave do sucesso está em seguir a criança, confirmar no seu potencial e valorizar o processo.

Sei que ainda parece cedo, mas… bom início escolar! 🙂

Joana Magalhães

Artigo Seguinte
Artigo Anterior