A verdade é que não pensamos seriamente sobre a educação dos nossos filhos até sermos pais. A partir desse momento temos a certeza que queremos algo que lhes permita crescer e tornarem-se pessoas humildes, conscientes, capazes, independentes e acima de tudo felizes. Esta tarefa é algo de extrema exigência e responsabilidade para qualquer pai.

A Joana M. apresentou-me a pedagogia Montessori após se ter deparado com ela numa das várias pesquisas que fazia (fosse para a preparação da casa para elas ou para o novo olhar sobre a criança). O paradigma era completamente diferente daquilo que estávamos habituados, enquanto pai estava constantemente a tentar perceber como podia ajudar as minhas filhas a fazerem uma simples atividade diária. Montessori apresentou uma nova forma de ver a criança e o nosso papel como educadores. Em Montessori é essencial dar espaço à criança, deixá-la tentar fazer as coisas por ela e só, após uma ou mais tentativas falhadas, lhe questionamos se necessita de ajuda e a ajudamos quando assim ela o solicita. Não é fácil adaptar-nos a esta ideia, pois como qualquer pai queremos estar prontos para ajudar a criança no que for preciso, mas a chave é mesmo essa, temos que deixar que seja a criança a definir o “quando é preciso”. Para mim esse foi o desafio!

Eu sabia que não ia querer que as minhas filhas seguissem o caminho tradicional da educação em Portugal, mas entre Montessori, Waldorf ou uma outra, não tinha uma opinião formada. No entanto, o sentimento que a Joana tinha pela pedagogia Montessori foi tão contagiante que começamos logo a aplicá-la em casa. A verdade é que, como pai, é com um vasto conjunto de emoções, que vão desde orgulho, admiração a alegria, que vejo as nossas filhas a conquistarem desafios e obstáculos com que se vão deparando, desde tarefas simples do dia-a-dia como por a mesa ou ajudar numa parte da preparação do jantar. O colmatar dessas conquistas com um simples “Já tá!” é de deixar qualquer um repleto de orgulho.

Será a pedagogia Montessori a melhor pedagogia? Com certeza que não sei responder a esta questão, mas também é algo que não sinto necessidade de explorar. Acredito que Montessori permite um novo olhar sobre a criança e é com amor que me sinto privilegiado de partilhar todas as conquistas que elas vão alcançando e só tenho uma enorme admiração e orgulho do trabalho que estamos a desenvolver.

Hugo Valente

Artigo Seguinte
Artigo Anterior