Decidi escrever este artigo sobre Maria Montessori, a mulher que deu o nome à pedagogia que a nossa escola aplica no dia-a-dia, sendo uma educação para a vida.

Maria Montessori nasceu em 1870, em Itália. Formou-se em Medicina e foi uma das primeiras mulheres na época a terminar os estudos. Iniciou a sua carreira profissional ligada à àrea da psiquiatria e começou a trabalhar com crianças que possuíam alguma deficiência física ou cognitiva. Através dos seus estudos, percebeu que estas crianças, excluídas da sociedade, respondiam com rapidez e entusiasmo às actividades de vida prática, exercitando assim as suas habilidades motoras e a sua autonomia.

Maria Montessori demonstrava grande cuidado com a organização do espaço que iria receber as crianças, ao mesmo tempo que lhes tentava direccionar alguma atividade educativa. Contudo, cedo percebeu que as crianças preferiam atividades práticas, do quotidiano, e dedicavam mais tempo com os materiais que permitiam interação/ação, como montar, encaixar ou moldar. Assim, à medida que ia observando as suas crianças foi melhorando o seu método, nomeadamente, no layout das salas, na disposição das áreas de trabalho: substituindo o mobiliário existente por leve e adaptado à altura das crianças, para que elas pudessem ser autónomas na sua movimentação.

Com acesso a estes materiais criados por ela, os resultados eram tão inesperados que Maria Montessori sentiu-se confiante para inscrevê-las nos testes nacionais de educação em Itália. Os seus alunos, com as mais variadas dificuldades de aprendizagem, tiveram melhores resultados do que a população infantil italiana dita “normal” que frequentava escolas tradicionais. Maria Montessori questionou-se então, o que estaria a acontecer nas escolas tradicionais para que as crianças tivessem tido resultados piores?

Os seus estudos e conclusões tiveram grandes avanços, em 1906, quando foi convidada para gerir uma instituição de educação de um bairro desfavorecido, em Roma. A instituição chama-se Casa dei Bambini (Casa das Crianças), nome que até hoje se mantém ligado à pedagogia. Aqui, Maria Montessori teve a oportunidade de aplicar os seus conceitos e experiências a crianças sem qualquer tipo de deficiência.

Cedo as suas experiências começaram a ter visibilidade no meio educativo da época e Maria Montessori replicou o mesmo conceito noutras Casa dei Bambini: a sua forma de ver a educação sublinhava a autonomia e o poder de decisão das crianças, conceitos que na altura não eram associados a crianças tão pequenas.

Em 1909, Montessori publicou a obra “Metodo della Pedagogia Scientifica applicato all’educazione infantile nelle Case dei Bambini”. A sua obra teve grande aceitação a nível mundial e países como suíça, frança, espanha, holanda e itália decidiram implementar a sua pedagogia, a qual se mantém viva até aos dias de hoje.

Entre 1915 e o início da Segunda Guerra Mundial, Maria Montessori continuou a ter grande aceitação a nível mundial, viajou um pouco por todo o mundo, divulgando simultaneamente a sua obra. Em 1939, Maria Montessori e Mário Montessori (seu filho) viajaram até à India e permaneram lá até 1946, impossibilitados de regressar à Europa. Enquanto esteve na Índia, Maria Montessori continuou os seus estudos e escreveu as obras “Educação cósmica” ,“Educação para um novo mundo” e “Educar o potencial humano”.

Quando foi autorizado o seu regresso à Europa, em 1949, Maria Montessori viu-se nomeada por três vezes para o Prémio Nobel da Paz. Trabalhou durante alguns anos na Holanda, onde morreu aos 81 anos, em 1952.

Enquanto escola e enquanto pais, expressamos o nosso profundo agradecimento a Maria Montessori pela sua visão inovadora, pela sua paixão pelas crianças e pela forma como nos deixa um legado vivo e actual, que respeita a individualidade de cada ser humano, ao mesmo tempo que nos guia nos valores de uma educação para um mundo melhor.

Rosana Fernandes

 

Artigo Seguinte
Artigo Anterior