Com a preparação para o novo ano escolar, junta-se também a necessidade de organizar a roupa para a nova estação! A autonomia através da roupa é mais uma das formas que temos para potenciar a independência das nossas crianças.

Uma boa forma de conseguir é através do conceito roupeiro cápsula: originalmente nascido na área de styling, rapidamente o conceito ganhou espaço no mundo Montessori. As suas características incluem: roupa com a mesma palete de cores, um número reduzido de peças de roupa que facilmente combinam todas entre si.

Recentemente acompanhei uma ida às compras, neste caso para um menino de 10 anos, que terá em casa este novo conceito: será ele que todos os dias do próximo ano lectivo irá escolher a roupa que diariamente levará para a escola. O conjunto que escolhemos inclui uma quantidade de peças de roupa reduzida, mas o suficiente para uma criança em crescimento. Eis o resultado:

Devido ao facto das crianças crescerem rapidamente, o número de peças do roupeiro cápsula é menor do que o de um adulto. Compramos 15 peças ao todo, dentro da mesma palete de cores, para que possibilitasse à criança escolher livremente, sem se preocupar que a sua escolha possa não ser bem sucedida. Basicamente o que estamos a fazer é “preparar o ambiente” em casa, para que a criança tenha todas as ferramentas que necessita para iniciar esta tomada de decisão livremente.

O número de peças que compramos permite fazer vários conjuntos, nomeadamente de ida para uma aula de ginástica (incluiu um fato de treino) ou ida para a escola num dia mais frio, com camisola de lã e casaco impermeável. Para alguns pais que possam estar curiosos quanto a este tipo de roupeiro, aqui ficam algumas razões que justificam este tipo de escolha:

Simples: Este tipo de roupeiro permite que o dia-a-dia seja mais simples de gerir, uma vez que não existe a preocupação de conjugar a roupa previamente (geralmente feita pelo pai/mãe no dia anterior). Desta forma, delegamos a escolha dos conjuntos, sem voltar a pensar no assunto 🙂 Muitas vezes tentamos fazê-lo em casa, dizendo à criança que hoje é ela quem vai escolher a roupa que vai vestir. Mas caso a combinação não agrade ( em termos de cores ou padrões), rapidamente damos nota que afinal a escolha que não combina, motivo pelo qual nós adultos intervimos para alterar o resultado final. Quanto partimos para o roupeiro cápsula, o adulto não tem necessidade de intervir e a criança experimenta a sensação de sucesso nas suas escolhas.

Mais fácil: A própria ida às compras para comprar roupa é, neste caso mais fácil. Quantas vezes compramos roupas para a idade da nossa criança que afinal não lhes serve? Se conhecermos os tamanhos de uma determinada loja/marca, dispensamos levar as crianças para o provador ou efectuar trocas de roupa devido a tamanhos errados, facilitando assim todo o processo.

Sustentável: Com este conceito, podemos também contribuir para a sustentabilidade: comprando menos roupa, mas com mais qualidade. Trata-se também de travar o efeito de consumismo dos dias de hoje. Fazemos as compras das roupas/calçado com a percepção que as crianças crescem rápido e muitas vezes não chegam sequer a experimentar todas as peças de roupa que têm no roupeiro. Desta forma, garantimos que isso não acontece: compramos apenas o necessário para aquela estação.

Confortável: Escolhemos peças de roupa confortáveis, a pensar no movimento e na agilidade das nossas crianças. Elas brincam activamente, saltam e correm, por isso temos de lhes dar roupa que lhes permita evoluirem nas suas capacidades. Nem todas as roupas assentam de forma confortável, por isso é importante que a nossa escolha recaia em peças de roupa se possível, 100% algodão, com cintura elástica e sapatos com velcro. Todas estas características potenciam a autonomia.

Flexível: O primeiro passo para concretizar o roupeiro cápsula é escolher a palete de cores que queremos aplicar naquela estação do ano. Amarelo, azul e verde? Depois desta escolha, devemos manter a regra que todas as partes de cima devem combinar com as partes de baixo. Isto permite a flexibilidade do guarda roupa, independemente de quem escolhe o conjunto naquele dia.

Mais econónimo: Todos os pais sabem que a roupa das crianças pode ser cara e, se não nos mantivermos reservados quanto à compra de novas peças de roupa, rapidamente conseguimos gastar muito dinheiro. A proposta que trazemos hoje é, em si, mais económica porque permite que organizemos as nossas compras de acordo com um budget definido para aquela estação, sem que haja necessidade de comprar mais peças de roupa ao longo do ano/estação.

Bom regresso à escola!

Rosana Fernandes

Artigo Seguinte
Artigo Anterior